sexta-feira, 27 de março de 2009

A perversidade desta gente não tem limites


"A caixa de correio do Vaticano vai receber dezenas de milhares de preservativos como forma de protesto pelas recentes declarações do Papa Bento XVI, em África, contra o uso do preservativo para combater a Sida.

Os organizadores, um grupo de italianos registados na rede social «Facebook», asseguram que, esta sexta-feira, 60 mil pessoas enviarão preservativos para o Vaticano, noticia o Jornal 20 minutos.

No entanto, os números podem chegar aos milhões, tendo em conta que outros grupos de todo o mundo de redes sociais similares se propuseram a participar. Cada pessoa enviará um preservativo para a Casa Pontifícia, prevendo-se que cheguem ao destino no primeiro dia de Abril.

O grupo italiano entende que esta é «uma provocação pacífica realizada por gente jovem, que são provavelmente os mais afectados por este problema, o das doenças sexualmente transmissíveis». A campanha iniciou em Itália, mas alargou-se a toda a Europa, a países como a França, Reino Unido, Alemanha, Áustria e Bulgária."


A ser uma notícia verdadeira, resta lamentar este pântano de lodo e lixo social que vivemos. Os referidos grupos ainda têm o descaramento de dizer que é "uma provocação pacífica realizada por gente jovem, que são provavelmente os mais afectados por este problema, o das doenças sexualmente transmissíveis".

A ser assim, de quem é a culpa? Do Santo Padre? Da Igreja Católica? Os grandes culpados da proliferação da SIDA e das outras IST's são estes grupos de cultuadores do sexo, que vêem o látex como o salvador do mundo.

"Provocação pacífica"? Não. Provocação ordinária, reles e infantil, típica de gente mal formada (e informada), que exalta a promiscuidade e o sexo livre e têm aversão à castidade, à fidelidade, à decência, à pureza e à relação sexual como acto unitivo e procriativo (e não meramente recreativo!) entre homem e mulher.
O único remédio realmente eficaz para a SIDA são os valores morais e cristãos, estes sim realmente dignos do ser humano. No lugar da (des)educação sexual obrigatória, devia ser obrigatória uma educação moral. Assim, evitar-se-ia que as crianças deste país crescessem sem valores, sem regras, onde tudo é tido como normal:
- como os assassínios de seres humanos dentro das barrigas das mães, sem que ninguém seja penalizado por isso (vergonhosamente já tido como normal);

- como o facto de um um "casal" poder ser formado por duas (ou mais, sabe-se lá!) pessoas do mesmo sexo;

- como o ser normal ter duas mães e/ou dois pais (ou três, ou quatro...);
- como ser normal matar velhinhos e/ou incapacitados porque o sofrimento não dignifica ninguém...
- etc...

É neste contexto deprimente, vazio, desumano, indigno da natureza humana, sem Deus, sem valores, sem Fé que as nossas futuras crianças vão crescer? Se um dia as deixarem crescer...
Tenho medo por elas...

Poderão não ter de saber a História de Portugal, o Catecismo ou os valores morais e universais que dignificam o ser humano. Poderão não ter de saber a importância da fidelidade ou o que é verdadeiramente um casamento.

Mas vão ser obrigados a saber, desde muito cedo, como colocar uma borracha pelo pénis abaixo, como recorrer a químicos para as meninas se tornarem temporariamente estéreis, como descobrir a "orientação" sexual ou como se livrar de um filho sem peso na consciência e ninguém os responsabilizar por isso.

Triste futuro o delas...

Triste para nós, vergonhoso para a sociedade e, acima de tudo, ofensivo para Deus...
Mãe da Igreja, abençoai o Santo Padre Bento XVI, gloriosa e valentemente reinante!

Agnus Dei, qui tollis peccata mundi, miserere nobis!

Sancta Maria, Mater Castissima, ora pro nobis!

1 comentário:

  1. Rezemos pelo Santo Padre!
    Muito bom esse blog. ótimos textos.

    ResponderEliminar